Quinta-feira, 20 de Outubro de 2005
Culturgest e gestos de cultura
Na habitual ronda pelos blogues mais lidos, em busca de inspiração para reanimar este, ultimamente tão moribundo, deparei-me com uma realidade que, desde há muito, me vem incomodando.
A esquerda escrita e blogada, e desta vez a pretexto do DocLisboa, esfrega, mais uma vez, na cara da direita, a sua ausência dos principais eventos culturais e lambe o rótulo do analfabetismo e tecnocracia enquanto lho cola na testa.
Confesso que já não há paciência...
Eu sou de direita, e fui, neste último mês, a vários concertos, todos eles na Culturgest. Havia por lá, de facto, muita gente de esquerda, nomeadamente, uns senhores que, vestidos da sua capa da intelectualidade (e todos de preto, que é como se querem), conversaram durante todo o concerto do Hermeto Pascoal, até que lhes dei um berro (de direita e bem salazarista até), para poder ouvir um dos maiores músicos ainda vivos.
Se a direita é pouco dada a cultura, aquilo que eu tenho visto (e ouvido, até mais do que gostaria), no dito meio cultural, é que a esquerda é pouco dada a educação... e a banho!


publicado por Laura Abreu Cravo às 11:20
link do post | comentar |

Comentários:
De abelha maia a 11 de Novembro de 2005 às 14:18
Mas a cultura não será superior a qualquer ideologia?
É que esta conversa de esquerda e direita já está completamente out!


De Ithaki a 27 de Outubro de 2005 às 23:43
Bem, tenho a dizer que eu me distingo pelo 212 da Carolina Herrera. Acham que tresanda a esquerda, meninos? (É que eu sou de esquerda... mas não é por ser de esquerda - é mesmo, mesmo só por ter algum gosto por isso - que gosto de ir à opera em copenhaga, visitar o Met de NY, comprar livros no Louvre, dar um salto a Londres para tomar chá nas Saint Catherine Docks, passar o Natal em veneza, ir ao concerto do Hermeto, e sim, faço-o desde pequenina... não é uma novidade na minha vida...). Mas por que é que certos sectores de uma esquerda triste, e outros de uma direita que se acha contente, não percebem, de uma vez por toda, que há gente inteligente (e educada...) do outro lado da barricada? Credo! O mundo podia ser tão melhor se as pessoas se vissem umas às outras sem o preconceito inicial da antipatia política. É apenas uma questão de educação. Regra n.º1: não impor a tua opinião aos outros (é feio, e cheira mal). Kashmir, estou contigo! Os rótulos são uma coisa triste.


De Hugo Alves a 24 de Outubro de 2005 às 22:54
Ataque de snobismo? ou mero desabafo...?

Convenhamos que isso do cheiro não conta. Piadas fáceis são isso mesmo: piadas fáceis (e torpes)...Direita e Esquerda distinguem-se pelas linhas (ideológicas) reitoras, meu caro...


De Pedro Rapoula a 20 de Outubro de 2005 às 11:56
Já agora, uma pergunta... Como é que numa multidão anónima se percebe quem é de Direita e quem é de Esquerda? Provavelmente pelo cheiro, não?


Comentar post

Laura Abreu Cravo
Em@il
Na Jukebox Mental

Pesquisar
 
Outros Venenos
31 da Armada
Revista Atlântico
Últimas Entradas

O Mel Com Cicuta acabou

Dos princípios vergados a...

Da falta de saídas profis...

O rei da selva

Vamos lá falar de coisas

O primeiro dia do nosso V...

A Corte

...

Por Deus, façam cerimónia...

Vai haver muita foto nest...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

blogs SAPO
Subscrever feeds