Quinta-feira, 19 de Julho de 2007
A housewarming post



A vida dá tantas voltas que nos vai transportando para latitudes opostas em espaços curtos de tempo e propiciando alguns choques anafilácticos aos organismos mais sensíveis a viagens longas e turbulentas. O síndrome de Roller Coaster (podia muito bem chamar-se assim) dos que vão sendo, à vez, albarroados pelo impacto da novidade ou mareados pelo embalo do tédio. Na ausência de minutas para a transposição dos dias (porque nunca são iguais, e, mesmo os mais padronizados, vão carecendo de adaptação ao caso concreto) criam-se mecanismos que permitam sobreviver às hostilidades circunstanciais: para uns, a formação de hábitos e rotinas que transmitam uma segurança aparente e um conforto sólido; para outros a adopção de uma carapaça dura e camaleónica que possibilite a concretização imaculada da longa jornada.
Os mais dados a tiques solitários, umbiguistas, misantropos, as gentes mais desligadas da Gente tenderão a acrescentar aos mecanismos anteriores um que lhes permita estar igualmente imunes as efeitos que o excesso de humanidade possa ter nas vidas. Nada contra. Afinal grande parte da graça da humanidade reside no estimulante exercício teórico quer passa por evitá-la. A todo o tempo. Contudo, até para esses -- mais avessos à invasão do seu perímetro de segurança vivencial -- que consideram a solidão o terreno ideal para a contemplação serena dos dias, vale a máxima Balzaquiana de que a solidão é agradável, mas precisamos sempre de alguém a quem o dizer.
Assim, e porque a montanha russa na qual nos movimentamos diariamente tem lugar para vários ocupantes (cada um deles cioso do seu espaço mas igualmente ávido de cumplicidades) hoje celebramos uma nova etapa na vida de I. Sempre próxima, ali ao lado, à distância de um apelo, passará a estar ainda mais perto, à mão de semear. Porque já que não conseguimos escusar-nos a semear ventos, mais vale ter por aqui quem nos ajude a colher eventuais tempestades.



publicado por Laura Abreu Cravo às 17:10
link do post | comentar |

Laura Abreu Cravo
Em@il
Na Jukebox Mental

Pesquisar
 
Outros Venenos
31 da Armada
Revista Atlântico
Últimas Entradas

O Mel Com Cicuta acabou

Dos princípios vergados a...

Da falta de saídas profis...

O rei da selva

Vamos lá falar de coisas

O primeiro dia do nosso V...

A Corte

...

Por Deus, façam cerimónia...

Vai haver muita foto nest...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

blogs SAPO
Subscrever feeds