Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008
Um filme a evitar quando se tenha abusado no Visa do mês anterior



publicado por Laura Abreu Cravo às 12:49
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Terça-feira, 28 de Outubro de 2008
Garota do Leblon

Às vezes o passar corrido dos dias não nos deixa parar para dizer coisas. Ou a nossa preguiça estende no tempo a coisa que íamos dizer hoje e não dizemos nem amanhã, nem no dia depois desse. Há muito tempo que este é um dos meus blogues preferidos, e que venho manobrando um amigo comum para a consumação daquela espécie de blind-dates que são os encontros entre bloggers que se leram e falaram entre si, mas continuam sem ter caras para dar aos escritos que seguem. [Devo ressalvar que o tempo me tem ensinado que, na maioria dos casos, devemos fingir-nos de mortos, autonomizar a obra do seu autor e evitar ver-lhe o frontispício, mas What the hell, um dia não são dias]. Isto só para dizer que, entre outras coisas, não me parece aceitável não ler este livro (eu tentei pôr a fotografia do livro, mas a coisa não se deu) e a Mónica, no seu Blogue.  

 



publicado por Laura Abreu Cravo às 20:05
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Sexta-feira, 24 de Outubro de 2008
E agora nós

 

 

Empire Of The Sun - Walking On A Dream



publicado por Laura Abreu Cravo às 14:02
link do post | comentar |

os pedreiros

Mil vezes os pedreiros que, sem artifícios linguísticos, nos gritam, na passagem, com crua e aviltante sinceridade e explicam, numa fracção de segundo, exactamente onde querem chegar. Certamente nunca um pedreiro vos há de ter sussurrado, com meiguice, que queria ser vosso amigo.



publicado por Laura Abreu Cravo às 12:15
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2008
Wolf like me

 

É claro que nunca conhecemos realmente um homem (ou mulher) apaixonado. Primeiro, porque aquilo que nos é dado a conhecer é a criatura (e matéria) filtrada pelo objectivo fixo da conquista; segundo, porque o estado semi-febril do enamoramento (do próprio ainda que não correspondido) se encarrega de esconder o que o objectivo de conquista não pré-determinou. Se as duas pessoas se apaixonam simultaneamente, estes efeitos anulam-se; se calha uma delas estar a assobiar para o ar enquanto a outra verte sonetos, convém estar preparado. Antes de mais porque a rejeição tem ligação directa para o ego ferido (o que leva a que certas almas se sintam legitimadas a debitar enormidades e agir como animais) e depois porque, passado o fervor inicial da paixão enfatuada, o objecto torna-se um alvo apetecível para uma espécie de descarrego emocional de dignidade reduzida.
Ao contrário de outros pedaços da Criação, não reconheço grande utilidade (sequer de compensação hormonal e auto-estima) à dimensão do séquito de não correspondidos que se traga arrastado vida fora — em matéria de tara coleccionadora tendo a preferir sapatos; Contudo não deixa de me espantar o que alguns estão dispostos a fazer para se manter no panteão.
O amor não correspondido é coisa injusta, mas a traição e exposição gratuita do outro (a quem se proclamou infundadamente a fidelidade eterna) tem tanto de inevitável como de patético. O que vale é que, mais tarde ou mais cedo, até o cordeiro mais pequeno e manso despe o manto para se fazer lobo.


publicado por Laura Abreu Cravo às 18:44
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008

Macho que é macho avassala a sua mulher e procria. Macho que é macho diz o que lhe apetece se ter em conta o interlocutor. Macho que é macho age como se a impunidade fosse um direito que o mundo lhe deve. Macho que é macho ofende, tripudia, faz comentários jocosos, lança mão do sarcasmo. Macho que é macho faz (porque pode e deve) comentários sobre os decotes das fêmeas. Macho que é macho faz (porque acha que pode) graçolas enjoativas sobre a vida dos outros. Macho que é macho deve estar preparado para apanhar como uma menina. Digo eu.



publicado por Laura Abreu Cravo às 18:29
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008
19.10.2008

  

O HUSHED October morning mild,

Thy leaves have ripened to the fall;

To-morrow's wind, if it be wild,

Should waste them all.

The crows above the forest call;

To-morrow they may form and go.

O hushed October morning mild,

Begin the hours of this day slow,

Make the day seem to us less brief.

Hearts not averse to being beguiled,

Beguile us in the way you know;

Release one leaf at break of day;

At noon release another leaf;

One from our trees, one far away;

Retard the sun with gentle mist;

Enchant the land with amethyst.

Slow, slow!

For the grapes' sake, if they were all,

Whose leaves already are burnt with frost,

Whose clustered fruit must else be lost--

For the grapes' sake along the wall.

 

October,

 

by Robert Frost

 



publicado por Laura Abreu Cravo às 15:42
link do post | comentar |

Na volta do correio



publicado por Laura Abreu Cravo às 14:32
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008
Na mala, ao lado do i-pod



publicado por Laura Abreu Cravo às 17:37
link do post | comentar | ver comentários (2) |

O capital (ii)

 

Encomendada e a caminho, para chegar a tempo der ser uma prenda de aniversário auto inflingida.

 



publicado por Laura Abreu Cravo às 16:53
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Laura Abreu Cravo
Em@il
Na Jukebox Mental

Pesquisar
 
Outros Venenos
31 da Armada
Revista Atlântico
Últimas Entradas

O Mel Com Cicuta acabou

Dos princípios vergados a...

Da falta de saídas profis...

O rei da selva

Vamos lá falar de coisas

O primeiro dia do nosso V...

A Corte

...

Por Deus, façam cerimónia...

Vai haver muita foto nest...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

blogs SAPO
Subscrever feeds