Segunda-feira, 29 de Junho de 2009
Michael Jackson

Em bom rigor, já estava morto há muito tempo.



publicado por Laura Abreu Cravo às 14:46
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

Comprei hoje uns Jimmy Choo maravilhosos que me levarão ao altar. Não quero comentários sobre a racionalidade económica da minha escolha tendo em conta o comprimento do vestido. O mundo poderia não ver nunca nada, mas eu não andaria aquele corredor em cima de umas coisas mal enjorcadas feitas por uns senhores muito sérios e jeitosos ali na avenida de Roma. Ou noutro sítio qualquer.



publicado por Laura Abreu Cravo às 17:39
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Terça-feira, 23 de Junho de 2009

Não tenho qualquer espécie de simpatias feministas. Mas a boa educação não é uma questão ideológica. Parece-me do mais linear bom senso que um marmanjo deixe passar uma senhora na porta e evite atirá-la ao chão para conseguir um lugar no metro. E não, os gays não estão isentos de cumprir estas regras.



publicado por Laura Abreu Cravo às 11:58
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Não tenho a menor das paciências para machistas ultramontanos de direita que pararam em 1967. Mas tenho ainda menos para os recém-paridos machistas de esquerda que, apesar do imenso mar de igualdade que apregoam, fazem notar que afinal sempre há um tipo de mulheres inferior: as de direita.



publicado por Laura Abreu Cravo às 11:57
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Sexta-feira, 19 de Junho de 2009
Está tudo bem, mas eu tenho uma arma.

Ontem, depois de um dia nas Galés, arrastei-me para casa onde fui acolhida por paredes que tremiam porque alguém teve a ideia peregrina de fazer uma rave com transe psicadélico no largo Camões, que às 23:30 e depois de vários telefonemas para a PSP, ainda não tinha acabado. Acho mesmo que o único argumento capaz de convencer os polícias acomodados na sua inércia, terá sido o quase sussurrado “eu tenho uma arma, o DJ na mira, e não tenho medo de usá-la”.

Lá consegui desmaiar na cama para acordar com os galináceos, morrer de calor até ao escritório, trabalhar a mil à hora, enviar 385 e-mails, acabar 33 contratos, adjudicar um orçamento ao pintor e outro ao carpinteiro, escolher o tom da tinta por telefone, correr até ao Chiado para engolir umas coisas verdes e ir escolher um vestido para a minha insatisfeita progenitora, correr até ao atelier debaixo de setenta graus onde consegui discutir um projecto de fusão enquanto me cobriam de tecido e alfinetes numa coisa que (garantem) será um vestido de noiva, discutir de forma igualmente apaixonada com a empregada doméstica que queria trocar o dia de trabalho e com um fiscalista que alegava que naquela fusão não havia relações de troca entre os accionistas das sociedades envolvidas, arrastar-me de volta para o escritório e estar, neste exacto momento, a queixar-me da vida, para passar imediatamente aos 5 contratos que faltam, mais as respectivas traduções e seguir, em tempo útil, para um jantar em família. Está tudo bem.



publicado por Laura Abreu Cravo às 17:10
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Sexta-feira, 12 de Junho de 2009
O porquê do fato

Hoje, à hora de almoço, no Saldanha, via-se por todo o lado a prova de um casual friday oficiosamente instituído nos escritórios das imediações. Deus nos proteja da liberdade criativa.



publicado por Laura Abreu Cravo às 14:20
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Saí para comer qualquer coisa e fui imediatamente apanhada pelo calor abrasador. Corri ao ar condicionado mais próximo. No regresso, ouço sirenes e batedores. Eram as noivas de Santo António, transportadas em descapotáveis clássicos. Estavam cerca de 178 graus e as noivas atravessavam Lisboa sem capota. Não vi nada dos vestidos, mas, lá de onde eu estava, adivinhava-se muita maquilhagem a derreter.



publicado por Laura Abreu Cravo às 14:19
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Terça-feira, 9 de Junho de 2009

É claro que devemos reger-nos pelos nossos padrões civilizacionais (e da mais básica educação) ainda que o nosso interlocutor seja um grunho. Saímos da contenda com elevação por não termos abdicado de jogar o jogo segundo as nossas regras. Mas há dias (que os há) em que a elevação nos faz doer as costas. E teria sido tão mais fácil mandar o grunho para o raio que o parta.



publicado por Laura Abreu Cravo às 15:36
link do post | comentar | ver comentários (3) |

 

 

Cansativa, a coisa do pavio curto. Para evitar desacatos e descomedimentos, espreita-se o caminho da libertação: olhar a contraparte nos olhos e, no momento em que começa a esbracejar e guinchar inanidades, esmurrá-la. Uma só vez. Com muita força. A violência, em doses certas, como alternativa possível à diplomacia tíbia.  


publicado por Laura Abreu Cravo às 15:32
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quinta-feira, 4 de Junho de 2009
Já alguma vez dançaram a caminho do metro, de manhã?

 

 



publicado por Laura Abreu Cravo às 18:39
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Laura Abreu Cravo
Em@il
Na Jukebox Mental

Pesquisar
 
Outros Venenos
31 da Armada
Revista Atlântico
Últimas Entradas

O Mel Com Cicuta acabou

Dos princípios vergados a...

Da falta de saídas profis...

O rei da selva

Vamos lá falar de coisas

O primeiro dia do nosso V...

A Corte

...

Por Deus, façam cerimónia...

Vai haver muita foto nest...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

blogs SAPO
Subscrever feeds