Quarta-feira, 3 de Junho de 2009

 

Na imagem, Joan Crawford em Johnny Guitar, de Nicholas Ray

 

Confesso que começo a ficar muitíssimo maçada com a conversa sobre as mulheres que, coitadinhas, se quiserem ser reconhecidas profissional ou politicamente, têm de se masculinizar. De facto, o que as criaturas pesarosas e mais as ditas senhoras (quando não coincidem) ainda não perceberam, é que semelhante processo não faz delas homens; mas apenas mulheres bastante menos interessantes.



publicado por Laura Abreu Cravo às 17:33
link do post | comentar |

Comentários:
De samartaime a 4 de Junho de 2009 às 10:11
Ai que me matou!
Atirou-me logo pela manhã, em e-jejum absoluto, com o Johnny Guitar!
Essa eu não lhe vou perdoar!



Atira-te ás letrinhas sapais, Hermengarda!


De Inês Teotónio Pereira a 4 de Junho de 2009 às 12:09
e isto a propósito de quê?


De Laura Abreu Cravo a 4 de Junho de 2009 às 12:32
Isto a propósito de um simpático debate havido com a Dr.ª Edite Estrela há uma semana e, naturalmente, da nossa conversa de ontem, e, ainda, daquilo que as mulheres querm transmitir delas próprias.


De Inês Teotónio Pereira a 4 de Junho de 2009 às 12:51
De uma data de coisas, portanto. Bjs e até à próxima conversa simpática


De samartaime a 4 de Junho de 2009 às 18:09
Dou-lhe absoluta razão: aquilo que se espera das mulheres é, exactamente, que sejam mulheres!

Não passa pela cabeça de ninguém que no ensino ou na saúde - profissões onde predominam mulheres - os homens precisem ser «mais femininos» para acederem e vingarem na profissão!

Passe a brejeirice, eu acho é que as pessoas andam a exagerar na parvoíce!


De ritz_on_the_rocks a 6 de Junho de 2009 às 15:21
passou na brejeirice e ainda rimou .. Boa!
tem toda a razão ...
eh eh eh

desculpem ... vim parar aqui e não resisiti ...
cumprimentos

Rita V.


De M. Mendonça a 6 de Junho de 2009 às 02:30
Eu concordo com a Laura: uma mulher que se masculiniza, é tudo menos interessante, e são os homens os primeiros a não dar qualquer tipo de atenção a esse tipo de espécimes...

O que é verdadeiramente fascinante, é a mulher que além duma aparência exterior cuidada, apelativa e adequada ao meio profissional em que se move, consegue notabilizar-se pelos êxitos/conduta profissional que têm e cria, fazendo disso a sua imagem de marca e marketing pessoal (por muito que isso possa desagradar às suas semelhantes e até provocar um olhito mais gordito, daqui ou dali...)


De Pedro Correia a 7 de Junho de 2009 às 12:33
Pois.


Comentar post

Laura Abreu Cravo
Em@il
Na Jukebox Mental

Pesquisar
 
Outros Venenos
31 da Armada
Revista Atlântico
Últimas Entradas

O Mel Com Cicuta acabou

Dos princípios vergados a...

Da falta de saídas profis...

O rei da selva

Vamos lá falar de coisas

O primeiro dia do nosso V...

A Corte

...

Por Deus, façam cerimónia...

Vai haver muita foto nest...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

blogs SAPO
Subscrever feeds