Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010
Memória de elefante

A memória é o nosso grande educador. O repositório de um conjunto de experiências e vivências e, anos depois, a fotografia mental (mais ou menos nítida) dos efeitos causados pelo impacto dessas mesmas experiências e vivências. Por isso, nunca esqueço.

Quando alguém nos faz passar por uma experiência ou vivência que justifica a produção (e consequente reprodução), a espaços, de uma memória específica, essa pessoa passa a ser parte num processo que, em alguma medida, produziu uma alteração ao curso normal da nossa vida e à formação linear da nossa personalidade.

Depois daquele momento, somos tudo o que fomos até ali e mais o que acaba de ser inscrito no nosso registo mental por via daquele caso concreto. É esta a razão pela qual não admito, nem aceito, que as pessoas, em vez de assumirem total responsabilidade pelo impacto dos actos que tenham originado, tentem fingir que nada aconteceu e retomar as coisas (e a convivência) do ponto imediatamente anterior.

Quem me trama, também me educa e, um dia, eu vou querer agradecer os conhecimentos adquiridos. Podem apostar que vou.



publicado por Laura Abreu Cravo às 14:08
link do post | comentar |

Comentários:
De Castafiore a 25 de Fevereiro de 2010 às 18:12
so true


De maradona a 27 de Fevereiro de 2010 às 17:43
está tudo bem, está tudo bem.


De José António Abreu a 3 de Março de 2010 às 12:25
Verdade. E vou passar a ter muito, mas muito cuidado com os comentários que aqui colocar...


De hostales salamanca a 3 de Março de 2010 às 14:42
Parabens pelo destaque no blogs so sapo
e pelo blog


De Anónimo a 9 de Março de 2010 às 07:20
está tudo tão bem que ainda acaba tudo à estalada


De AG a 9 de Março de 2010 às 11:14
Bom dia

"Quem me faz mal, ensina-me" é uma expressão que uso há anos para interiormente superar tramas, conluios, injustiças de que sou alvo na vida profissional, académica, pessoal.

Só por isso adorei o seu post, podia ter sido eu a escreve-lo.

Bom dia para si.

Ana


De aumento seno a 7 de Abril de 2010 às 15:55
melhor memória de elefante que os peixes!


De impulsos a 16 de Abril de 2010 às 02:37
Não podias estar mais certo naquilo que pensas e dizes.
Quem já não passou por situações em que de alguma forma saimos a perder e depois, passado um tempo, vêm com pézinhos de ´~a,assim como quem não quer a coisa...
Tenho um bom remédio para isso, bastando para tal voltar a tratar o indivíduo(a) por você, como fazia antes das "intimidades".É remédio santo!

Gostei imenso deste teu post, que encontrei por mero acasonesta madrugada adentro.


Comentar post

Laura Abreu Cravo
Em@il
Na Jukebox Mental

Pesquisar
 
Outros Venenos
31 da Armada
Revista Atlântico
Últimas Entradas

O Mel Com Cicuta acabou

Dos princípios vergados a...

Da falta de saídas profis...

O rei da selva

Vamos lá falar de coisas

O primeiro dia do nosso V...

A Corte

...

Por Deus, façam cerimónia...

Vai haver muita foto nest...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

blogs SAPO
Subscrever feeds